Voltar Para Página Inicial...
 :. Ações e Projetos
 :. Brasil no Timor
 :. Créditos
 :. Crocodilos em Rede
 :. Endereços Úteis
 :. Filme
 :. Fotos
 :. Língua Portuguesa
 :. Livros
 :. Nossa Lista
 :. Olhar de Crocodilo
 :. Poemas de Crocodilo
 :. Reportagens
 :. Solidariedade

   

Hino de Timor Leste

O Hino Pátria foi escrito e composto na véspera da Proclamação da Independência, a 27 de Novembro de 1975, portanto. O poeta/jornalista Francisco Borja da Costa escreveu o poema e a música foi composta por Afonso Maria do Santíssimo Redentor Araújo, irmão de Abílio Araújo, que á data estava em Lisboa para concluir o curso de Econômicas e Financeiras, tendo no dia seguinte sido nomeado Ministro para os Assuntos Econômicos e Sociais. O Afonso era o 6º de oito irmãos, sendo a mais nova a Aliança Araújo, actual deputada pelo PNT. Ele nasceu a 2 de Agosto (daí o apelido "Santíssimo Redentor") de 1946. Foi capturado entre Fevereiro e Março de 1979, juntamente com Alarico Fernandes, tendo sido posteriormente executado pelos indonésios. Borja da Costa seria abatido na própria manhã da invasão, caindo o seu corpo na areia da praia, junto a Lécidere (vestido com as sua inseparáveis calças de ganga e chapéu de Cowboy.
No dia da independência só foi cantado o refrão, pois a letra deu muita polemica e o Maestro Simão Barreto era frontalmente contra, bem como Xanana. Segundo a Constituição este não é o Hino definitivo, mas conhecendo Timor e os timorenses, acho que é o Hino para os próximos séculos...!
O poema Pátria nunca foi "oficialmente" traduzido para Tétum, portanto a única versão oficial é o original em língua portuguesa. Já em 1975 a FRETILIN defendia a língua portuguesa como língua oficial, era como dizia o Rogério Lobato durante a campanha eleitoral: "Nós defendemos a língua portuguesa desde 1974, não quando vamos a Lisboa de mão estendida pedir dinheiro"...

Letra do Hino de Timor-Leste
Título: "Pátria"
Texto: Borja da Costa
Música: Afonso Redentor Araújo

Pátria, pátria, Timor-Leste nossa nação.
Glória ao povo e aos heróis da nossa libertação.
Vencemos o colonialismo.
Gritamos: abaixo o imperialismo.
Terra livre, povo livre,
não, não, não à exploração.
Avante, unidos, firmes e decididos.
Na luta contra o imperialismo,
o inimigo dos povos,
até à vitória final,
pelo caminho da revolução!

Refrão: Pátria, pátria, Timor-Leste nossa nação.
Glória aos heróis da nossa libertação

Página anterior

 
 

 Mais informações


Queimado Queimado,
mas Agora Nosso!

ROSELY FORGANES
Ler Críticas


Filme
Timor Leste
O massacre que o mundo não viu

Compre Diretamente
novo

Todos os direitos reservados
Melhor visualização: 800x600 - Internet Explorer 5.0 (acima)
webmaster@timorcrocodilovoador.com.br